• Tatiana Py Dutra

Quarentena: não paro de comer. E agora?

Endocrinologista e nutricionista explicam causas da voracidade e dão dicas para driblarmos a tentação de comer mesmo sem sentir fome

Eu não sei vocês, mas os dois meses em isolamento (aqui em Brasília, começou no início de março) fizeram misérias com as minhas medidas. Não que eu fosse uma miss antes, mas a ansiedade sempre me faz comer mais. Como fiquei desempregada, a vontade de comer ficou quase incontrolável.


Com a experiência e sabedoria de quem passou praticamente a vida toda de dieta, resolvi reagir, né? Estou seguindo os conselhos da médica endocrinologista Lorena Lima Amato, que diz que é essencial diferenciar a fome da vontade de comer para evitar ganho de peso e outras doenças causadas pela má alimentação.


Uma dica é respirar fundo e refletir qual a motivação pra comer. Se for ansiedade, o ideal é “distrair” a cabeça bebendo água ou exercitando-se, por exemplo.


“Pense que a quarentena vai passar e quando tudo isso terminar, o ideal é você estar com saúde para voltar à ativa e a sua rotina, trabalho, academia, e tudo mais que faça parte da sua vida normal”, orienta Lorena.


Outra dica é prestar atenção ao valor nutricional do que se está se ingerindo. Alimentos in natura e gorduras saudáveis ajudam a saciar a vontade de cair na tentação das ‘besteiras’. Como dica de petisco, a médica cita cenoura e pepino cortadinhos como estratégia para o momento de ansiedade e ajuda a evitar a ingestão de alimentos pouco saudáveis.


“E não esqueça da atividade física, extremamente importante sempre e, nesses tempos de quarentena, fundamental para aliviar a ansiedade e o estresse”, reforça Lorena.


E apesar de o “confort food” - alimentos que trazem boas lembranças emocionais, como a receita da vovó ou o bolinho da mamãe – serem valorizados nessa quarentena, é preciso equilíbrio. Há pratos que não podem ser comidos todos os dias.


“Uma pergunta interessante que se pode fazer no dia a dia é: o que te motiva a manter uma dieta saudável? Pense nessa resposta, que pode contribuir para você ter consciência antes de cair na tentação”, disse a médica.


Para crianças

Com as crianças é muito importante criar rotinas de alimentação, horários estabelecidos para as refeições, que ajudam a diminuir a chance de escapar e comer aquele salgadinho.


“Até para beber água é importante ter uma rotina, fique atento a isso. A água pode inibir a vontade de comer. O suco de limão sem açúcar pode ser também um grande aliado para quebrar a vontade de doces, salgadinhos, refrigerantes etc. Outra estratégia é não comer direto do pacote, coloque em um pote uma quantidade determinada para que não haja exagero! Comer um alimento de desejo de vez em quando não é o problema, desde que isso não se torne rotina”, explica a endocrinologista.


Deixar frutas à disposição e ao alcance da criança é uma ótima dica também em para incentivar a alimentação saudável.


Reduzindo os sintomas


Marcela Mendes, nutricionista da rede Mundo Verde, dá dicas de como controlar e amenizar os sintomas

Açúcar

A procura por alimentos à base de açúcares é sem dúvida parte da rotina de pessoas ansiosas, uma vez que ele é capaz de estimular o cérebro e causar a sensação de prazer e bem estar. Mas, ele com certeza não é a melhor opção para se livrar dos sintomas. Substitua por alimentos ricos em triptofano. O aminoácido está relacionado com a produção de serotonina, substância responsável pela sensação de felicidade e é encontrado facilmente em alimentos como a banana, cacau, oleaginosas, semente de girassol, quinoa e ovos

Chás

Existem diversos tipos de chás relacionados ao relaxamento e redução da euforia, como o chá de camomila, melissa, erva doce e folhas de maracujá. No entanto, é importante de consumi-los puros, sem adição de açúcares e adoçantes

Suplementos

Se preferir fazer uso de produtos encapsulados escolha entre suplementos a base de zinco, vitaminas do complexo B, triptofano, canela e magnésio estão na lista de aliados ao combate à ansiedade e depressão. Eles estimulam a produção de serotonina, ajudam a regular hormônios e as nossas emoções

Saúde intestinal

Este é um ponto extremamente relevante quando o assunto é estado de humor e ansiedade. Invista em probióticos de qualidade e fibras para estimular seu bom funcionamento. Um intestino saudável pode facilitar a absorção de nutrientes e a produção de substâncias como: serotonina, dopamina e gaba, que têm relação direta com a ansiedade e depressão

Mude seus hábitos

Aos poucos, mas mude com consciência. Não pule refeições e não faça jejum sem orientação, isso pode gerar mais frustrações e perda de controle

Estabeleça metas saudáveis

Faça um plano diário ou semanal do que comer, a quantidade ideal, as variações de alimentos e horário. O ato de organização pode te ajudar a diferenciar melhor a sensação de fome x vontade de comer e então, trará mais controle e confiança sobre si, reduzindo a ansiedade

© 2020 por BOA DE GARFO. Orgulhosamente criado com Wix.com

  • Ícone preto do Facebook
  • Ícone preto do Twitter
  • Ícone preto do Pinterest
  • Ícone preto do Instagram